Revista Literária CNSA

Um olhar sobre da segunda metade da literatura do século XIX do alunos do Colégio Nossa Senhora Auxiliadora

As imagens de Vicente de Carvalho

Marina Vasconcelos

 Série: 2 ° ano

 Turma: “A”

Interpretação e Figuras de Linguagem

É muito interessante estudar a linguagem com base nos conteúdos da literatura, a interpretação textual é o começo de tudo, pois não se dá somente no meio educacional, pois tudo começa com a interpretação e se abrange a outras áreas.Aprimorar essa competência no sentido de analisarmos um texto é um ponto básico para que se tenha uma boa compreensão.O poema utiliza a linguagem humana para retratar aquilo em que a pessoa que escreve quer transmitir.As figuras de linguagem estão constantemente presente em textos, sendo atuais ou antigos, dentre elas,existe:

Metáfora:“É o emprego de uma palavra com o significado de outra em vista de uma relação de semelhanças entre ambas. É uma comparação subentendida”.

Comparação: “Consiste em atribuir características de um ser a outro, em virtude de uma determinada semelhança.”

Prosopopéia:“É uma figura de linguagem que atribui características humanas a seres inanimados. Também podemos chamá-la de personificação.”

Sinestesia:“Consiste na fusão de impressões sensoriais diferentes.”

Catacrese:“É uma metáfora desgastada, tão usual que já não percebemos. Assim, a catacrese é o emprego de uma palavra no sentido figurado.”

Metonímia:“É a substituição de uma palavra por outra, quando existe uma relação lógica, uma proximidade de sentidos que permite essa troca.”

Perífrase:“É a designação de um ser através de alguma de suas características ou atributos, ou de um fato que o celebrizou.”

Antítese:“Consiste no uso de palavras de sentidos opostos.”

Eufemismo:“Consiste em suavizar palavras ou expressões que são desagradáveis.”

Hipérbole:“É um exagero intencional com a finalidade de tornar mais expressiva.”

Ironia:“Consiste na inversão dos sentidos, ou seja, afirmamos o contrário do que pensamos.”

Onomatopéia:“Consiste na reprodução ou imitação do som ou voz natural dos seres.”

Aliteração:“Consiste na repetição de um determinado som consonantal no início ou interior das palavras.”

Elipse:“Consiste na omissão de um termo que fica subentendido no contexto, identificado facilmente.”

Zeugma:“Consiste na omissão de um termo já empregado anteriormente.”

Pleonasmo:“Consiste na intensificação de um termo através da sua repetição, reforçando seu significado.”

Polissíndeto:“É a repetição da conjunção entre as orações de um período ou entre os termos da oração.”

Assíndeto:“Ocorre quando há a ausência da conjunção entre duas orações.”

Anacoluto:“Consiste numa mudança repentina da construção sintática da frase.”

Anáfora:“Consiste na repetição de uma palavra ou expressão para reforçar o sentido, contribuindo para uma maior expressividade.”

Silepse:“Ocorre quando a concordância é realizada com a idéia e não sua forma gramatical. Existem três tipos de silepse: gênero, número e pessoa.”

 Figuras de Linguagem de Vicente de Carvalho

Foi eleito membro da Academia Brasileira de Letras em 1909.

Obras poética: Ardentias (1885), Relicário (1888), Rosa, Rosa de Amor (1902), Poemas e Canções (1908), Verso e Prosa (1909), Páginas Soltas (1911) e Versos da Mocidade (1912). É considerado um dos principais nomes da poesia parnasiana brasileira.Um dos seus poemas mais conhecidos é:

Velho Tema
Só a leve esperança em toda a vida,
Disfarça a pena de viver, mais nada;
Nem é mais a existência, resumida,
Que uma grande esperança malograda.

O eterno sonho da alma desterrada,
Sonho que a traz ansiosa e embevecida,
É uma hora feliz, sempre adiada,
E que não chega nunca em toda a vida.

Essa felicidade que supomos
Árvore milagrosa que sonhamos,
Toda arreada de dourados pomos,

Existe, sim; mas nós não a alcançamos.
Porque está apenas onde a pomos
E nunca a pomos onde nós estamos.

                                                                                                                             5

Nesse poema Vicente de Carvalho questiona a própria existência da felicidade,seus poemas são muito organizados,com linguagem simples ,consegue fazer com que tenhamos a impressão de que ele penetra na alma humana e descreve seus anseios.As grandes ferramentas que Vicente utiliza assim como outros poetas são as figuras de linguagem,as mais comuns  comprovadas em seus poemas são a comparação,a sinédoque e a metáfora.Há uma redução de sentimentalismo romântico,apesar de ser considerado um romântico autêntico.Consta-se ideário parnasiano,melancolia,emotividade e ironia,na maioria de suas obras. Em certos trechos do poema “Velho tema” ( velho tema,pelo fato da busca pela felicidade não ser uma busca nova e supreendente), podemos comprovar essas três figuras de linguagem:

“…Nem é mais a existência resumida,                                                                     Que uma grande esperança malograda…”

Análise: nesse trecho está presente a figura de linguagem chamada comparação,ao fato dele comparar a existência resumida com uma grande esperança malograda,ou seja,frustrada.

“…O eterno sonho da alma desterrada…”

Análise: nesse trecho está presente a figura de linguagem chamada sinédoque,pois parte pelo todo.A parte “alma desterrada” não se restringe só ao espírito e sim ao corpo e tudo aquilo que está junto ao caixão,em baixo da terra.

“…Árvore milagrosa que sonhamos…”

Análise: nesse trecho está presente a figura de linguagem chamada metáfora,quando se há uma comparação subentendida,com o sentido de comparar um ser vivo que não é humano com o milgre.

“…Dourados pomos…” (símbolos,Vicente tinha uma pequena influencia simbolista)

Anúncios

Navegação de Post Único

3 opiniões sobre “As imagens de Vicente de Carvalho

  1. Maria Gabriela em disse:

    Identificar as figuras de linguagem em um poema não é uma tarefa fácil, pois necessita de um certo conhecimento não só na língua portuguesa, mas também nas características literárias do autor. Parabéns!

  2. As Figuras de Linguagem que o autor Vicente de Carvalho usava fez com que grandes poemas seus tornarem-se mais belos ainda.Devo dizer que poemas como: Serenata e Palavras ao mar de Vicente nunca mais sairam da minha cabeça,são belos demais para serem esquecidos e agora,com grande significado para mim.

  3. anne Benarrós em disse:

    gostei muito da interpretação das imagens

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: