Revista Literária CNSA

Um olhar sobre da segunda metade da literatura do século XIX do alunos do Colégio Nossa Senhora Auxiliadora

Intertextualidade em Olavo Bilac

Patrícia de Oliveira Botelho Neves

Turma:2 ANO/A

Poema 1:

Via Láctea – Soneto XIII

“Ora (direis) ouvir estrelas”! Certo

Perdeste o senso!”E eu vos direi, no entanto,

Que, para ouvi-las, muita vez desperto.

E abro as janelas, pálido de espanto…

E conversamos toda a noite, enquanto.

A via-láctea, como um pálio aberto,

Cintila. E, ao vir do sol, saudoso e em pranto,

Inda as procuro pelo céu deserto.

Direis agora: “Tresloucado amigo”!

Que conversas com elas? Que sentido

Tem o que dizem, quando estão contigo?

E eu vos direi: “Amai para entendê-las”!

Pois só quem ama pode ter ouvido

“Capaz de ouvir e de entender estrelas”.

Olavo Bilac

02

Relaciona-se com a música.

Sempre quando chega a noite

 Estrelas vem iluminar

 E me fazem sonhar

 E imaginar você aqui

 Preciso de você, só pra me guiar.

 Minha estrela não se esconda

 Pois sei que, eu vou te encontrar.

 Vamos viajar e acender de vez a nossa paixão

 Virar constelação, num só coração…

 Estrela, por favor, escute o que eu vou falar.

 Quero te amar mesmo que o sol aparecer

 Eu não vou mudar mais de opinião

 Não me deixa aqui no chão

 Minha estrela não se esconda

 Pois sei que, eu vou te encontrar.

 Vamos viajar e acender de vez a nossa paixão

 Virar constelação, num só coração…

 Estrela, por favor, escute o que eu vou falar.

 Quero te amar mesmo que o sol aparecer

 Eu não vou mudar mais de opinião                                                                                 03

 Não me deixa aqui no chão [2x]

 Estrela do meu coração…

Poema 2

Língua Portuguesa

Última flor do Lácio, inculta e bela,

És, a um tempo, esplendor e sepultura:

Ouro nativo, que na ganga impura.

A bruta mina entre os cascalhos vela…

Amo-te assim, desconhecida e obscura,

Tuba de alto clangor, lira singela,

Que tens o trom e o silvo da procela

E o arrolo da saudade e da ternura!

Amo o teu viço agreste e o teu aroma

De virgens selvas e de oceano largo!

Amo-te, ó rude e doloroso idioma,

Em que da voz materna ouvi: “meu filho!”

E em que Camões chorou, no exílio amargo,

O gênio sem ventura e o amor sem brilho!

Relaciona-se com

Falando de Flores

Falando de Flores

Margaridas são flores sofridas                                                                                          04

São desprovidas de espinhos

As Rosas são glamurosas

São sempre charmosas

Mas ferem com seus espinhos

Então em todas as coisas, flores, cores , homens e amores

Existe,sempre , um senão…

Poema 3

ANOITECER

Esbraseia o Ocidente na agonia

O Sol… Aves em bandos destacados,

Por céus de oiro e de púrpura raiados,

Fogem… Fecha-se a pálpebra do dia…

Delineam-se, além, da serrania.

Os vértices de chama aureolados,

E em tudo, em torno, esbatem derramados.

Uns tons suaves de melancolia…

Um mundo de vapores no ar flutua…

Como uma informe nódoa, avulta e cresce.

A sombra à proporção que a luz recua…

A natureza apática esmaece…

Pouco a pouco, entre as árvores, a lua.

Surge trêmula… Anoitece.

Relaciona-se com

A cada anoitecer…                                                                                                            05

A cada anoitecer, já não sabemos se teremos um novo amanhecer.

 A cada anoitecer, sentimos que somos tais quais libélulas, com seus vôos tempestivos em vida breve.

 A cada anoitecer, pressentimos cada vez mais a possibilidade do fim de todas as coisas. E se, por desventura, sobreviventes houver, estes serão despojados de toda fé e esperança quanto a futuro.

 A cada anoitecer, podemos sentir um frio na medula, ao ouvirmos a voz medrosa do nosso subconsciente, tentando nos alertar de que um flagelo pavoroso, oriundo da nossa exímia obtusidade, sufocará a qualquer momento todos os sonhos e ardores da humanidade.

 A cada anoitecer…

Poema 4

Longe de ti

XXXI

 Longe de ti, se escuto, porventura,

 Teu nome, que uma boca indiferente.

 Entre outros nomes de mulher murmura,

 Sobe-me o pranto aos olhos, de repente…

 Tal aquele, que, mísero, a tortura.

 Sofre de amargo exílio, e tristemente.

 A linguagem natal, maviosa e pura,

 Ouve falada por estranha gente…

 Porque teu nome é para mim o nome

 De uma pátria distante e idolatrada,                                                                                06

 Cuja saudade ardente me consome:

 E ouvi-lo é ver a eterna primavera

 E a eterna luz da terra abençoada,

 Onde, entre flores, teu amor me espera.

 (Olavo Bilac)

Relaciona-se com

Longe de ti meus caminhos são vazios, não há paz no meu olhar.

E o meu coração é um porto de solidão. Porque sem ti tudo perde a cor

E os meus amanheceres insólitos não amanhecem mais no meu viver.

Á ti deponho meu coração, abrigo cheio de amor nas tuas mãos.

Aqui me tens entregado, faça o que quiseres com ele!

Poema 5

Um beijo

 Foste o beijo melhor da minha vida,

 Ou talvez o pior… Glória e tormento,

 Contigo à luz subi do firmamento,

 Contigo fui pela infernal descida!

 Morreste, e o meu desejo não te olvida:

 Queimas-me o sangue, enches-me o pensamento,

 E do teu gosto amargo me alimento,

 E rolo-te na boca malferida.

07

 Beijo extremo, meu prêmio e meu castigo,

 Batismo e extrema-unção, naquele instante

 por que, feliz, eu não morri contigo?

 Sinto-me o ardor, e o crepitar te escuto,

 Beijo divino! e anseio delirante,

 Na perpétua saudade de um minuto

 (Olavo Bilac)

Relaciona-se com

O beijo é a mais pura expressão de intimidade. Nossa boca é um dos pontos que nos dar mais prazer.As sensações provocados pelo beijo, são maravilhosamente excitantes. Claro, estou falando do beijo erótico, é nesse que vou focar agora. Você sabia que quando beijamos na boca, estamos trabalhando 29 músculos da face? 12 são dos lábios e 17 da língua. Quando o beijo é ardente, os batimentos cardíacos se aceleram, chegam a dobrar, de 70 por seg à 140,Aja coração. Um beijo gostoso, aquece a alma, e outras coisinhas mais. O beijo erótico é importantíssimo para o prazeroso contato sexual. A pele se arrepia de desejo a cada carinho feito com a língua, sem medos, sem pudores. Porque nada substitui um delicioso boca a boca. Beijar é infalível.

Anúncios

Navegação de Post Único

15 opiniões sobre “Intertextualidade em Olavo Bilac

  1. Parabéns Patrícia! Este artigo me permite compreender o assunto de uma forma sucinta e clara. Achei interessante compartilha-lo em meu Facebook para que meus amigos possam, assim como eu, ter o prazer desta leitura.

  2. Comparação suncinta, que ao mostra seus textos reflete diretamente com alguns trechos dos outros textos comparados,muito bom de grande ajuda e auxilio para o estudo.

  3. Um dos mais notáveis poetas brasileiros, prosador exímio e orador primoroso.Considerado o maior nome parnasiano brasileiro, foi bastante influenciado pelos poetas franceses.Parabéns pelo trabalho Patty!

  4. Victoria Paiva em disse:

    ler essas poesias desse grande poeta Olavo Bilac é como lembrar do Sitio do pica pau amarelo você imagina cada detalhe de sua poesia,ele é inspirador quando escreve eu admiro muito esse poetista

  5. jacque Guarlotti em disse:

    Olavo Bilac foi um poeta e jornalista brasileiro , foi também um dos principais defensores do parnasiano, uma de de suas curiosidades que me deixaram surpresa foi porque ele escreveu a letra do hino à Bandeira brasileira. Olavo era escrevia com perfeição em seus poemas , ele ia em busca de palavras raras, rimas ricas e rigidez das regras da composição poética.

  6. Rafaela Costa em disse:

    Muito bom, valeu a pena ler. O interessante sobre este autor é que e como todo poeta parnasiano ele fala muito sobre a natura e seus objetos. Mas também, chega a nos confundir com outros poemas que podemos jurar que que é do simbolismo.

  7. Achei o trabalho muito bem desenvolvido e criativo que relaciona músicas e outros poemas com o poema de Olavo Bilac “Via Láctea – Soneto XIII”. Gostei das relações que a aluna fez! Ficou otimo!

  8. achei muito interessante como as músicas tem relação com cada poema , pois neles
    esta descrevendo os planetas , entre outros aspectos que Olavo Bilac utilizava nas suas obras .

  9. Olavo Bilac, autor de alguns dos mais populares poemas brasileiros, é considerado o mais importante de nossos poetas parnasianos.

  10. Olavo Bilac, autor de alguns dos mais populares poemas brasileiros, é considerado o mais importante de nossos poetas parnasianos. É autor do Hino à Bandeira Nacional.

  11. Como todos conhecem, Olavo Bilac é considerado um dos maiores amantes da Literatura, com isso, fez com que ele fizesse parte da Escola Parnasiana, com isso fez com que seus poemas estivessem cada vez mais criativos e autênticos, e é isso que encanta em seus poemas, a autenticidade! Muito bom. Ele sim é um excelente poeta!

  12. Olavo Bilac foi um poeta e jornalista brasileiro. Escreveu a letra do hino à Bandeira brasileira, nasceu no Rio de janeiro, no dia 16 de dezembro. Pertenceu à Escola Parnasiana Brasileira, sendo um dos seus principais poetas. Pertenceu à Escola Parnasiana Brasileira, sendo um dos seus principais poetas, porém seus poemas não eram totalmente com características parnasianas, ele fugia de tais características usando o sentimentalismo.

  13. Olavo Bilac foi um grande poeta e jornalista, cursou faculdade de direito e medicina mas não concluiu nenhuma, escreveu a letra do hino à Bandeira brasileira e é membro fundador da Academia Brasileira de Letras. Ele também foi um dos principais representantes do movimento parnasiano.

  14. anne Benarrós em disse:

    otimo trabalho

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: